quarta-feira, 20 de setembro de 2017

RESENHA: Marlena (Julie Buntin) | por Carol Sant

|


E aí leitores, tudo belezinha com vocês? Espero que sim! (HAHA)
Hoje o assunto será sobre o livro "Marlena" da autora Julie Buntin, que foi lançado pelo selo "Fábrica231" da Editora Rocco. 
 A primeira coisa que você deve saber sobre a obra é que não é um thriller psicológico, suspense ou algo do gênero. Com isso esclarecido, podemos então começar a resenha!
_______________________________________________________________________________

A HISTÓRIA


Aqui nós iremos conhecer Cat, que acabou de se mudar para uma cidade no interior de Michigan depois da separação dos pais. Cat está se sentindo perdida e solitária até conhecer Marlena, uma garota de quinze anos que mora na casa da frente. Logo as duas constroem uma amizade um tanto bonita mas também muito perigosa, Marlena é o oposto de Cat e com isso a nova garota da cidade começa a ter suas primeiras experiências, como por exemplo, seu primeiro beijo, o primeiro cigarro e o primeiro contato com a bebida, entre outras coisas mais. Para Marlena nada daquilo é novo, pois vive anos de vícios e isso acaba acontecendo cada vez com mais frequência - o que é preocupante.
Já no começo do livro conseguimos perceber que a mãe de Cat está sofrendo de depressão e vem perdendo muito peso, além de ser alcoólatra (já que não deixa faltar uma garrafa de vinho em casa). Também conseguimos ver que a família da nossa protagonista é completamente desestruturada, com uma mãe alcoólatra, um irmão viciado em maconha e um pai super ausente.
Já Marlena é uma garota que precisa urgentemente ser salva de si própria, possui também uma família desfuncional, com um pai traficante, uma mãe que a abandonou quando ela era ainda muito pequena e um irmão pequeno que também é vítima do que a vida lhe impôs.
____________________________________________________________________________

MINHAS IMPRESSÕES SOBRE O LIVRO


Tenho que lembrar que o livro é recomendado para maiores de 16 anos, já que o livro contém cenas muito gráficas de sexo e narra episódios pesados sobre adolescentes se drogando.
Em determinado ponto da leitura senti que os assuntos tratados (muito sério, diga-se de passagem) pela autora foram um tanto superficial, já que ela dava a entender em algumas partes do livro que fazer algumas coisas eram normais de se fazer, o que nitidamente não era. Mas em dado momento a autora consegue nos mostrar o quão sombrio é seguir o caminho das drogas - tanto licitas, como não licitas.
 O relato da autora sobre a amizade de Cat e Marlena é bastante perturbador, porém, também é bastante comovente. Perturbador porque vemos como é a luta diária de Marlena com as drogas, desde que Cat a conheceu até que a morte chegasse precocemente para a amiga e também vemos a luta diária de Cat com a bebida até os tempos atuais. E comovente por sabermos o quanto deve ser difícil lutar contra esses vícios e contra a vontade de querer cada vez mais essas drogas todos os dias e conseguimos sentir a culpa que Cat carrega nos ombros desde sua adolescência!
Achei que o livro acabou de forma abrupta, pois quando chegamos na parte mais aguardado do livro (quando Cat fica cara a cara com Sal depois de anos - o irmão mais novo de marlena), não temos muitas informações sobre a relação que ambos estabelecem ou se vão manter contato.
É um relato intrigante e foi difícil para mim, pois ver como conseguimos evoluir com o passar dos anos e ainda assim, conseguimos nos auto-destruir tão facilmente, mesmo com todo o avanço que conquistamos. A leitura é um pouco arrastada mas acho que isso se dá por conta de se tratar de fatos verídicos da vida da autora. O livro recebeu a classificação de três estrelas e eu recomendo a leitura!
Beijos da Cah
____________________________________________________________________________

MARLENA 






Adquira seu exemplar, clicando AQUI ♥

xoxo.


terça-feira, 12 de setembro de 2017

RESENHA: Ivy Pocket - O Segredo do Diamante (Caleb Krisp) | por Carol Sant

|

Boa tarde leitores, tudo belezinha com vocês? Espero que sim! :)
Hoje eu quero conversar com vocês a respeito do livro "Ivy Pocket: O Segredo do Diamante", do autor Caleb Krisp e que foi lançado pela Editora Rocco.
____________________________________________________________________________

A HISTÓRIA


Nessa história vamos conhecer a desastrada e super engraçada Ivy, uma menina de 12 anos que trabalha como criada em casas de famílias muito respeitadas na sociedade da época. Só que Ivy não é uma menina comum, além de falar tudo o que lhe dá na telha, ela também tem um terrível dom para confiar em pessoas erradas. 
Depois de ser abandonada por sua dona em um hotel, Ivy fica encarregada de fazer um trabalho para a duquesa de Tritiny que está prestes a bater as botas. A garota então, deve entregar um diamante relógio para uma tal garota chamada Mathilda Butterfield no baile de seu aniversário, e claro que essa missão não poderia dar mais errado, já que estamos falando sobre "Ivy Pocket".
Ivy aceita o trabalho, mas antes de mais nada ela deve prometer a duquesa que jamais irá experimentar o colar e então a garota parte para Londres nesta missão em troca de 500 libras. 

____________________________________________________________________________

O QUE EU ACHEI


Podemos esperar por muitas aventuras e confusões que nossa protagonista nos proporciona. Confesso que apesar de não ter gostado tanto da escrita do autor, o livro em si fluí muito bem. É um infanto-juvenil e talvez por isso a leitura tenha me parecido um pouco boba, mas claro que isso se deve a minha idade e tudo mais.
A história é envolta por mistérios que acaba por nos deixar a todo momento querendo desvendá-los, nossa protagonista é muito cativante e um tanto quanto peculiar, já que faz coisas absurdas e diz coisas inesperadas!
Um ponto que me deixou um pouquinho irritada com a história em si e até mesmo um tanto quanto cansada, foi o fato da Ivy sempre confiar em uma certa 'personagem' que dá na cara que está muito interessada no diamante relógio e que a está tentando manipular, mas por incrível que pareça, apenas Ivy não se dá conta dessa fato.
Outro ponto que me deixou um pouquinho decepcionada foi por eu ter conseguido me apegar a nenhum dos personagens que aparecem no livro, nem mesmo na nossa personagem principal: Ivy Pocket. Acho que faltou um pouco de simpatia nos personagens e para finalizar, teve outro fato que me fez gostar menos do livro, estou falando das pontas soltas que o autor deixou ao finalizar o livro. Tenho certeza de que o livro poderia e tem muito potencial para uma trilogia ou série, mas o autor não nos dá nenhum indicio de que a história de Ivy terá uma continuação, o que é uma pena!
Vale ressaltar que a edição do livro está impecável, com ilustrações maravilhosas, o que claro me chamou bastante atenção.
Sem mais delongas, é um livro divertido e feito para passar o tempo, ele levou uma classificação de três estrelinhas no Skoob e eu mega recomendo para crianças com seus 11,12 anos de idade.
Beijos da Cah
_________________________________________________________________________________

IVY POCKET: O SEGREDO DO DIAMANTE








 Adquira seu exemplar clicando aqui ♥

xoxo.


segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Resenha: Carbono Alterado (Richard Morgan) | por Bea Oliveira

|



Título: Carbono Alterado

Autor: Richard Morgan

Editora: Bertrand Brasil

Onde Comprar:Amazon | Saraiva Submarino




No século XXV, a consciência pode ser baixada em cartuchos e inserida em novos corpos; ou seja, você é imortal. Takeshi o protagonista, desperta em um novo corpo para desvendar um crime, só para descobrir que a vítima desse crime foi quem encomendou essa investigação. Tudo isso, selado por um contrato que garante a vida dele por apenas 6 semanas, em um planeta totalmente desconhecido: a Terra. 

“A vida nas ruas tem certa mesmice. Em todos os mundos em que já estive, os mesmos padrões subjacentes se estabelecem, burburinho e ostentação, compra e venda, como se fossem uma essência destilada do comportamento humano vazando por baixo de qualquer que fosse a máquina política do alto.”

A história se passa no século 23 e e viver em outros planetas é extremamente comum, tanto quanto cirurgias psiquiátricas que curam a mente. O homem conversa com as baleias. É uma trama inteligente e muito bem construída, com uma escrita que se assemelha a uma conversa. Enquanto lia, tive a impressão de estar conversando o tempo todo com Kovacs. Mas isso não quer dizer que a história seja fácil de entender. O leitor tem que tentar ter a mesma criatividade do autor, porque ele não se preocupa em explicando muita coisa. Muitas vezes, ele só joga o nome de alguém ou de algum dispositivo criado por ele, e deixa a cargo do leitor imaginar o que é, algo que particularmente me travou na leitura, pois por muitas vezes fiquei confusa e sem saber a quem ou ao que se referia, pois não tinha o conhecimento prévio que havia na mente do autor.


Além disso, um ponto que acho importante citar é que as cenas se  violência e sexo são explicitas, não de uma forma perturbadora, apenas realista.
O trabalho do livro é, em sim, muito bom, tanto sua história quanto sua edição, que mesmo simples combina com a história.


Carbono alterado vai ser adaptado para a Netflix e pode-se esperar algo novo e impactante! A série, está prevista para ser lançada ainda em 2017, e terá 10 episódios. Em 12 de maio deste ano, foi anunciado que o ator Joel Kinnaman iria estrelar como o protagonista Takeshi Kovacs.

- Bea Oliveira.

Classificação

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

RESENHA: A Nerd e o Cafajeste (Valéria Reis) | por Carol Sant

|

Hoje vou falar sobre aquele livro que todos nós gostamos e com certeza já lemos em algum momento de nossas vidas: estou falando de romances clichês. Pois é, quem não gosta, né?! O livro se intitula "A Nerd e o Cafajeste", da autora Valéria Reis e lançado pelo Young Editorial.

__________________________________________________________________________

A HISTÓRIA



Aqui nós vamos conhecer a história da Júlia que é uma garota órfã e um tanto quanto melancólica. Ela passa seus dias estudando muito para o vestibular que está se aproximando, trabalha em uma loja para noivas, lê muitos romances em seu tempo livre e claro, tem quatro amigas que são inseparáveis desde que se conheceram.
Júlia está cansada da vida pacata que leva, mas tudo muda quando seu crush platônico vai trabalhar como pintor na loja em que a moça trabalha. Jhonny é pintor e tem a fama de ser o maior garanhão da cidade; mas quando ele começa a se aproximar demais de Júlia, a garota fica com um pé atrás - o que é compreensivo!
É claro que rola um romance fofinho entres esses dois, mas será que a nossa protagonista está disposta a enfrentar os medos que a perseguem desde a morte de seus pais?

_____________________________________________________________________________

O QUE EU ACHEI


Eu estava mega empolgada para fazer a leitura porque a capa me chamou muita atenção (convenhamos que é linda e super fofa!), mas infelizmente o romance do casal não conseguiu me convencer, pois desde o começo senti como se tudo na história fosse meio superficial. Fique bem incomodada com a narrativa da autora por fazer com que eu me sentisse infantilizada ao ler o livro, o que é uma pena.
Outro ponto que me deixou muito desconfortável enquanto lia, foi a pressão que as amigas da Júlia e Roberta, mulher que a criou colocam em cima dos ombros da garota para que ela arrumar um namorado. Ficou me parecendo que não importava quem fosse o namorado que Júlia escolhesse, ela só PRECISAVA estar namorando, não importando se o cara fosse ou não um cafajeste e isso me deixou bem incomodada afinal, a garota só tem 17 anos!
Também me deu a entender que se a protagonista não tiver um homem para chamar de seu, a vida dela seria muito sem graça e até mesmo dando a entender que ela seria uma pessoa infeliz (como se todas as mulheres precisassem namorar e ter um homem para ser feliz). Segue um trecho do livro que traduz o que eu disse acima:

"O sonho de todas elas era que eu encontrasse alguém especial e me apaixonasse, ou ao menos namorasse. Aparentemente, sonho realizado."

Odeio escrever isso mas, o livro não funcionou para mim. Mas recomendo que leiam e tirem suas próprias conclusões sobre o livro, afinal, somos pessoas diferentes com pensamentos diferentes e se ler, vem depois me contar o que achou.
Beijos da Cah

_____________________________________________________________________________

A NERD E O CAFAJESTE





 xoxo.


quarta-feira, 16 de agosto de 2017

NOVIDADE & ENTREVISTA: Pré-venda do Livro "Árion", Pablo Madeira | por Carol Sant

|

Olá, como vocês estão hoje? Tudo belezinha?
Nesse dia friozinho e gostoso para ficar debaixo das cobertas, assistindo um filminho clichê ou lendo novos livros que te fazem refletir e se apaixonar, venho com uma super novidade e duas super dicas de dois livros para conhecer e se apaixonar! Estou falando sobre os livros do nosso queridissímo autor "Pablo Madeira" e segundo minhas fontes, tem novidade vindo por ai ♥



Pablo é muito intenso e acho por ser assim, essa qualidade acaba transparecendo em suas obras (o que eu confesso me chama muita atenção). Pablo é autor de nada menos que três livros físicos publicados, sendo eles: "Clér", "Sem Amor, Só a Lo(cura)" e "Árion" (que está em pré-venda, aliás).

Seu primeiro livro lançado foi "Clér", um romance LGBT que ganhou muitos fãs e tem uma pontuação de 4.3 no Skoob (o que é muito bom). Eu particularmente comprei o livro mas infelizmente ainda não pude ter o prazer de ler, quero ler o mais rápido possível.
A história do livro é a seguinte: A decisão de sair da casa dos seus pais e ir morar com a sua tia em outra cidade foi necessária para Rodrigo. O jovem não suportava mais conviver com os problemas alcoólicos de seu pai e ser feliz era algo que não podia mais ser adiado. Se assumir homossexual não era uma das escolhas mais fáceis, já que seu pai sempre dizia que jamais teria um filho gay. Além das novas amizades e do primeiro emprego, Rodrigo irá sentir pela primeira vez o tão falado “amor à primeira vista” ao conhecer o jovem Clér. Mas nem tudo é o que parece e Rodrigo vai aprender que o preconceito pode existir em qualquer lugar e que, por esse motivo, às vezes precisamos guardar alguns segredos.

Perguntas Sobre o livro "Clér".
EU: Como a história do livro "Clér" surgiu na sua cabeça e com quantos anos você a escreveu?
PABLO: Eu tinha de 16 para 17 anos quando eu cismei de querer escrever um romance, um livro. Na verdade o "Árion" foi um livro que sempre esteve na minha cabeça, mas eu quis começar de uma forma assim: "Poxa, eu sou homossexual, eu vou escrever sobre uma realidade minha." Por achar que eu iria ter um dominio maior da escrita e que eu iria saber expressar melhor a minha realidade, a história de "Clér" surgiu na minha cabeça em uma virada de ano novo e uma amiga minha tem um amigo que se chama "Clér", mas eu acho que ele chama Clér mesmo (risos), já o meu chama "Clerisson" e Clér é uma forma de apelido.
Ai eu achei o nome estranho por ser nome de mulher, mas também achei chamativo por ser aquele nome que tem sentido duplo, a conclusão foi que o menino nunca mais falou comigo na vida (risos) e foi assim que surgiu a ideia.

EU: Tu se inspirou em alguém que conhece para criar o personagem do Rodrigo?
PABLO: Não, não me inspirei em ninguém para criar o Rodrigo. Mas tem muito de mim ali nele, como eu te falei, eu queria escrever um livro que falasse sobre a homossexualidade e pelo fato de eu ser, eu iria passar mais verdade. 
Então o personagem sendo homossexual, ele me deu uma liberdade grande para colocar muitas coisas dentro do livro.Mas não sou eu, o Rodrigo é uma personagem todo fictício apesar de ter atitudes que ele tomou que eu eu também faria, mas nem todas! 
_________________________________________________________________________________

Logo no ano seguinte o autor lançou um livro de crônicas que leva o título de "Sem Amor, Só a Lo(cura)", que eu tive a honra de ler e conversar com vocês sobre ele aqui e para quem não lembra ou não viu a resenha que fiz sobre o livro, basta CLICAR AQUI para conferir e se arrepiar ao ler esse livro maravilhoso!
Sinopse: "Com uma linguagem ímpar, misturando amizades, amores, decepções e dores incuráveis, Pablo Madeira nos apresenta um retrato da vivência humana, de seu interior mais solitário, ambicioso e inacreditável. Cada texto foca em um sentimento e tema que nos obriga a ponderar sobre a vida e o seu sentido real, como se realmente pudéssemos encontrar qualquer significado em meio ao nosso caos mental. A maturidade e desenvolvimento ao longo de sua carreira é evidente e formidável." (Trecho extraído do prefácio que foi escrito pela autora L.L Alves).


Perguntas sobre o livro "Sem Amor, Só a Lou(cura)".

EU: Agora falando um pouquinho sobre o "Sem Amor, Só a Lou(cura)", você sempre gostou de ler/escrever crônicas?
PABLO: Sim. Eu sempre gostei de ler e escrever crônicas, sabe?!
Eu leio bastante "Martha Medeiros", "Caio Fernando Abreu", "Tati Bernardi", "Clarissa Corrêa", "Fernando Sabino", são bastantes mas sempre gostei. 

EU: Como foi sua reação as criticas positivas e negativas sobre o livro? E o que você queria que o livro trouxesse ao leitor?
PABLO: Para ser bem honesto, eu não recebi nenhuma crítica negativa. Até me falaram que queriam que o livro fosse maior (risos). Eu recebi muita crítica positiva e muitas pessoas perceberam um amadurecimento enorme na minha escrita em relação ao livro anterior, me disseram que eu cresci muito como escritor. 
Eu estava em um momento muito ruim da minha vida, era um momento que eu estava passando por vários problemas pessoais e então eu estava sofrendo demais e  estava feliz demais, eu estava no pico de emoções em todos os sentidos e isso meio que foi o ápice. Quando eu estava no extremo de algum sentimento eu escrevia um texto, sabe? 
Ás vezes eu via um morador de rua e já me despertava alguma coisa para poder escrever sobre ele ou as vezes eu perdi alguém da minha família, então já escrevi sobre um luto. Sempre fiz essas coisas, então eu queria que o leitor começasse a se importar mais com as coisas simples da vida, com as pequenas alegrias, com um gesto de carinho, com um olhar, que as vezes as coisas parecem monótonas para a gente e chatas mas se soubermos olhar com outros olhos isso pode fazer uma grande diferença na nossa vida. Eu queria tocar o leitor, por isso que são vários textos e cada texto aborda uma temática diferente porque eu queria tocar o leitor de alguma forma.
__________________________________________________________________________________ 

E agora após um ano da publicação de "Sem Amor, Só a Lou(cura)", o autor está lançando o livro "Árion", uma fantasia que promete ser incrível, eu estou mega ansiosa pela leitura e o livro já está em pré-venda no site da Editora Xeque-Matte que alias, está com um preço mega em conta por ser um lançamento, apenas R$ 19,90 + FRETE e para conferir basta CLICAR AQUI e comprar seu exemplar, eu já garanti o meu e você não vai ficar de fora né?!
Sinopse: 
Durante uma invasão noturna em uma velha casa, que muitos julgavam assombrada, Laura acaba descobrindo que um antigo espelho é na verdade um portal para um mundo mágico, chamado Árion. Por acidente, a jovem acaba sendo levada para este mundo na companhia do seu melhor amigo e do ex-namorado.
Porém, os problemas estavam apenas começando, pois Árion está em guerra e a chegada dos jovens é a prova de que uma antiga profecia se tornará realidade, ou seja, a existência de outros mundos, despertando com isso o desejo das forças das trevas de dominarem a Terra a qualquer custo. Agora, a jovem e os amigos precisam descobrir uma forma de voltar para casa antes que seja tarde. 

Perguntas sobre o livro "Árion".


EU: Agora pra finalizar, vamos falar sobre o seu livro novo. Como foi passar para o papel uma história que já estava viva a tanto tempo na sua cabeça?
PABLO: Olha, essa história está viva na minha cabeça desde que eu tinha 15 anos que foi quando eu comecei a gostar de ler. Não ia nem chamar "Árion", ia chamar "Mickaela Fortanner" , seria tipo Harry Potter, com o nome do personagem principal e um subtítulo.
Nossa, foi muito gratificante! Eu acho que de todos os trabalhos, esse é o trabalho que eu me sinto mais bem preparado, mais maduro, mais original e mais criativo. Eu tive liberdade para construir muita coisa e eu fiquei muito feliz, o livro está na pré-venda e inclusive eu estou dando um exemplar do "Sem Amor, Só a Lou(cura)" para os primeiros 28 compradores, eu to bem empolgado e louco para receber o feedback dos leitores.
Eu criei duas raças para esse primeiro livro e no próximo livro também terá duas raças criadas por mim, eu misturo muito mitologia egípcia com mitologia grega... Eu viajo na maionese sem pudor, acho que é um livro entrou para o meu coração e está sendo meio que meu xodó.

EU: Qual a lição que você espera que os leitores tiram do livro de "Árion" e qual sua dica para aqueles que assim como você, querem se tornar escritores?
PABLO: Poxa, eu acho acima de tudo a lição que as pessoas que lerem "Árion" devem tirar é a importância de dizerem o que pensam e não guardar para si mesmo, acho que é uma lição que as pessoas podem tomar com o livro que é de não guardar. As vezes você quer falar algo para uma pessoa e o seu orgulho não deixa e também sobre o preconceito, porque vai abordar uma questão social só que no mundo mágico mas, é uma coisa que acontece no nosso planeta terra. Sobre companheirismo, amizade, sobre a importância de ser quem você é independente do que os outros pensem e claro, como eu disse no inicio, não guardar tudo para si mesmo.
Agora dica para quem quer ser escritor é principalmente ler muito porque geralmente quem lê muito escreve bem, escrever sempre que possível e não desistir né, porque muitas pessoas flopam na metade do caminho, acho que o que você não pode é desistir!
__________________________________________________________________________________

Então é isso galera, já corre no site da editora para garantir seu exemplar e quem sabe ganhar um exemplar de "Sem Amor, Só a Lou(cura)" e aproveita que o preço está super em conta. Recapitulando o livro está em pré-venda pelo preço de R$ 19,90 + FRETE!
Beijos da Cah 

Compre seu exemplar CLICANDO AQUI